Disfagia
A laringe possui três funções primordiais, nesta ordem: proteção da via aérea, produção da voz através da vibração das cordas vocais e respiração. Durante a deglutição, ocorre a contração de toda a laringe: os músculos da laringe se contraem, as cordas vocais coaptam e a epiglote se fecha tampando a laringe e evitando que o alimento desça para a traqueia e atinja os pulmões.

A deglutição dos alimentos ocorrem em três fases - mastigatória, faríngea e esofágica. Quando há alguma dificuldade em alguma dessas fases da deglutição, caracteriza-se como

disfagia

.

A alimentação é um ato tão natural que não necessitamos pensar para comer. Os indivíduos que apresentam disfagia passam a ter problemas não somente nutricionais, mas também psicológicos e sociais. Portanto, é primordial buscar pelo

tratamento disfagia

.

De acordo com dados coletados em pesquisas médicas, o aumento dos pacientes com queixa de disfagia é diretamente proporcional ao envelhecimento da população. Isto significa que, quanto maior é a expectativa de vida em um país, também é maior a probabilidade de desenvolvimento da disfagia.

Entre as causas mais comuns da doença estão: os quadros neurológicos; os tumores laríngeos ou faríngeos. Além da dificuldade para engolir, alguns pacientes sentem dor; sensação de bola na garganta; regurgitação nasal de alimentos; tosse e pigarro; escape de alimento pela boca; engasgo durante as refeições e salivação excessiva.

Na Clínica localizada na cidade de São Paulo, o diagnóstico e tratamento da disfagia é realizado por otorrinolaringologistas preparados para realizar exames de diagnóstico como a nasofibrolaringoscopia convencional ou a Videoendoscopia da deglutição - este último exame consiste na realização de nasofibroscopia com oferta de alimentos de diferentes consistências com corantes para identificar possíveis quadros de aspiração alimentar para os pulmões.

As intervenções clínicas prescritas poderão associar: medicações para diminuição ou aumento da saliva; fonoterapia e mudanças nos hábitos alimentares e nutricionais. Em alguns casos, porém, pode ser necessária a colocação de sonda alimentar ou gastrostomia e cirurgia para correção laríngea.

É importante ressaltar que o paciente disfágico deve ser acompanhado por uma equipe multidisciplinar, composta por médicos geriatras, gastroenterologistas, otorrinos, fono terapeutas, fisioterapeutas, enfermeiros e nutricionistas.

Para mais informações sobre o tratamento da disfagia, entre em contato com a equipe da Imong.
/Galeria de Imagens
  • Clínica Imong
  • Clínica Imong
  • Clínica Imong
  • Clínica Imong
  • Clínica Imong