O que é e como tratar o desvio de septo nasal?
Desvio de septo nasal


Em geral, o desvio do septo nasal é um problema é congênito ou ocasionado por uma lesão no nariz e pode não apresentar sintomas, sendo confundido com alergias, rinites ou resfriados 


Se você é do time que vive com sensação de nariz entupido e apresenta dificuldades para respirar ou dormir, você pode estar sofrendo com desvio de septo nasal. A condição é mais comum do que se imagina. Estima-se que 8 em cada 10 brasileiros apresentem o problema. Mas antes de preocupar-se, é importante entender o que é desvio de septo e quais os tratamentos indicados.


O desvio de septo nasal é caracterizado pelo crescimento exagerado da cartilagem ou osso do septo nasal, que é a parede que divide as duas narinas. O esperado é que todos tivessem duas narinas idênticas, mas isso raramente acontece, por conta de diferenças naturais entre indivíduos. O desvio de septo pode ser congênito (de nascença) ou aparecer na infância, durante o desenvolvimento dos ossos da face. 


Em alguns casos, o desvio de septo pode resultar de processos inflamatórios, infecciosos ou alérgicos, ou cirurgia. Outra forma de acometimento são as fraturas nasais, ou seja, quando quebramos o nariz podemos evoluir com um desvio de septo. Qualquer tipo de ferimento grave no nariz pode causar um desvio dessa estrutura.


Como o septo nasal funciona como um “pilar” central da pirâmide nasal, desvios do septo podem ser a principal
causa de um “nariz torto”. No entanto, uma grande parte dos desvios não produz nenhuma alteração estética.

É importante esclarecer que o desvio de septo só precisa de intervenção cirúrgica nos casos em que há comprometimento da respiração ou da qualidade de vida do paciente. Em muitos casos, os pacientes não apresentam sintomas e convivem com a condição sem problemas.


Quais os sintomas?


Quando o desvio de septo é grave, os sintomas mais comuns são sensação de nariz entupido, dificuldades para pegar no sono, ronco, alterações no sono, irritabilidade e cansaço constante. Ele ainda pode ocasionar disfunções no olfato, sinusites de repetição, sangramentos nasais e até dores de cabeça.

Esses sintomas podem levar a dificuldades de praticar esportes, sensação de garganta seca e dificuldades de concentração. Em muitos casos, o desvio de septo ocasiona respiração oral, já que a pessoa tem dificuldades de respirar pelo nariz. Nesses casos, o excesso de respiração pela boca pode levar a outros problemas, como rouquidão, dores de garganta e problemas odontológicos.


Como é o diagnóstico de desvio de septo nasal?


O primeiro passo é consultar um otorrinolaringologista, que irá examinar o paciente e avaliar suas queixas. Podem ser necessários alguns exames para complementar o diagnóstico, como a nasofibrolaringoscopia, que funciona como uma endoscopia nasal e permite analisar todo o interior da cavidade nasal. Em casos de alterações severas, pode-se realizar um exame que mede o fluxo de ar e a resistência da passagem do ar em cada narina em separado, que se chama rinomanometria.


Nem sempre o desvio de septo é responsável pelas queixas do paciente. É extremamente importante verificar se não existem outros fatores de risco associados, como a presença de pólipos, tumores ou hipertrofia dos cornetos, responsáveis pela obstrução nasal e que requerem outro tipo de conduta.


Qual o tratamento para desvio de septo?


A única forma de tratar definitivamente o desvio do septo nasal é através de cirurgia de correção do septo, a septoplastia. No entanto, a cirurgia só é indicada em cerca de 25% dos casos, quando existem sintomas. 


A indicação é sempre realizar a cirurgia após os 16 anos de idade, quando o septo já está plenamente formado. Porém, em casos mais graves, pode-se realizar a cirurgia ainda na infância, evitando outras complicações durante a fase de formação.


A cirurgia é feita com anestesia geral e tem duração de no máximo duas horas. Normalmente, o paciente pode voltar para casa já na manhã seguinte e o pós-operatório é indolor, exigindo repouso por cerca de 2 semanas. Pode ocorrer um leve sangramento nasal nos dois primeiros dias.


Em geral, a septoplastia pode ser associada a outros procedimentos cirúrgicos do nariz, tais como redução dos cornetos nasais (turbinectomias), sinusectomia endonasal ou até mesmo rinoplastia (correção do formato do nariz). Cada caso deve ser avaliado cuidadosamente pelo otorrinolaringologista.


Em alguns casos, o médico pode receitar tratamento para aliviar os sintomas causados pelo desvio de septo, como lavagens com água salina, corticoides tópicos nasais e descongestionantes nasais ou anti-histamínicos, que permitem melhorar a qualidade de vida do paciente. Mas o tratamento medicamento só é um paliativo, sendo a cirurgia o método mais indicado para tratar o desvio de septo nasal.


Agende sua consulta e faça uma avaliação com médicos otorrino experientes em cirurgia de septo nasal.

/Galeria de Imagens
  • Clínica Imong
  • Clínica Imong
  • Clínica Imong
  • Clínica Imong