Como infecções de ouvido recorrentes podem afetar a audição?

Infecções de ouvido podem ser bastante comuns em crianças e se não forem tratadas corretamente podem causar perda auditiva e atraso na linguagem.



otite infecção de ouvido


Os casos de otites, ou infecções de ouvido, costumam ser frequentes nas crianças, pois elas possuem um canal auditivo muito pequeno, tuba auditiva pouco desenvolvida e mais horizontalizada associado a um sistema imunológico mais sensível a doenças. O que poucos sabem é que otites agudas recorrentes que não são devidamente tratadas podem causar perda auditiva permanente e afetar o desenvolvimento da criança.


Apesar de poder afetar adultos e adolescentes, pesquisas realizadas nos Estados Unidos e na Escandinávia revelaram que 90% das crianças com 5 anos ou menos apresentam pelo menos um caso de otite média aguda ao ano. As otites são classificadas em otite externa ou média, de acordo com a região afetada.


Essa inflamação, bastante comum na região, principalmente em crianças, pode ser o resultado direto de alergias ou ações de bactérias, vírus ou fungos. Problemas com o sistema imunológico, o uso de determinados medicamentos, presença de água no ouvido e lesões estão entre algumas das causas. Complicações no ouvido podem gerar fortes dores e incômodos na vida da criança. Quando ocorrem mais de 3 casos de otite aguda em um intervalo de seis meses, chamamos de otite de repetição.


Entre os principais sintomas da otite aguda estão febre, tosse, coriza, sensação de ouvido tampado, dores de cabeça e, em casos mais graves, náuseas, tontura. Se a otite não for devidamente tratada com acompanhamento médico, ela pode causar até perda auditiva permanente e impactar o desenvolvimento cognitivo da criança.


Qual a relação entre perda auditiva e infecções de ouvido?


As infecções de ouvido causam uma dificuldade para a criança detectar e interpretar os sons do ambiente. Ocorre uma diminuição na capacidade de ouvir e de identificar a origem do som em uma fase fundamental para o desenvolvimento da linguagem.


Na infância, o cérebro está em crescimento acelerado e é nessa fase que ele começa a formar as conexões que darão sentido à linguagem. Quando não tratadas, as infecções de ouvido recorrentes podem levar a um transtorno do processamento auditivo central (PAC).


Esse transtorno causa uma dificuldade do cérebro captar e interpretar sons. Em alguns casos de otites severas, pode haver uma perda auditiva mínima, que não é percebida por pais e professores. As pessoas ao redor não percebem nenhuma mudança significativa no comportamento da criança, ela fica apenas distraída, desatenta e desinteressada.


Investigar essa condição é fundamental, pois mesmo perdas auditivas leves podem impactar o desenvolvimento da criança. Só aprendemos a falar à medida que ouvimos. Nosso cérebro é programado para receber esses estímulos e registrá-los como linguagem. Se o ouvido, que é o órgão responsável por captar sons, apresenta algum problema, a aquisição da linguagem fica prejudicada.


A criança passa a trocar fonemas, apresenta problemas de escrita, não consegue formar frases, apresenta baixo rendimento escolar e acaba se isolando, o que pode prejudicar a socialização. Se não for corretamente tratada, a perda auditiva pode evoluir e causar danos irreparáveis.


Por isso, o mais indicado é estar sempre atento aos casos de possível perda auditiva. Em casos de infecções de ouvido agudas, devemos sempre procurar o médico otorrinolaringologista, para fazer exames e acompanhar a audição da criança. É fundamental realizar uma avaliação audiológica completa, incluindo a audiometria e imitanciometria. Em alguns casos, pode ser necessário uma Avaliação do Processamento Auditivo Central.


São todos exames indolores, realizados em sala acústica e com protocolos adaptados de acordo com a idade do paciente. A boa notícia é que, na maioria dos casos, a perda auditiva causada pela otite é transitória e pode ser revertida com o tratamento adequado.


Vale lembrar que o tratamento indicado vai depender de muitos fatores, como tipo de otite, idade do paciente e grau de perda auditiva (quando houver). Por isso, nunca se deve apelar para a automedicação e sempre devemos consultar o médico.


O tratamento pode ser medicamentoso ou cirúrgico com tubos de ventilação ou timpanoplastia. Nos casos em que a audição é prejudicada pelas infecções de ouvido pode ser indicada terapia de reabilitação auditiva, realizada pelo fonoaudiólogo.


Quando a criança apresenta casos de otites de repetição, os pais devem incentivar a fala, buscando assim minimizar os impactos no desenvolvimento. Lembre-se que enquanto está com otites, a criança está escutando com dificuldade, então chame a atenção dela para falar, procure olhar para ela enquanto fala e, se necessário, aumente o tom da sua voz, para que ela possa entender com clareza todos os sons da fala. Fale de frente para a criança, em ambiente silencioso e converse com ela sempre que possível, seja no banho, jantar ou durante as brincadeiras.


Sempre que identificar qualquer alteração na fala ou na percepção da criança, procure por ajuda. O correto acompanhamento auditivo e exames preventivos garantem um desenvolvimento saudável por toda a vida. 

/Galeria de Imagens
  • Clínica Imong
  • Clínica Imong
  • Clínica Imong
  • Clínica Imong